Turismo

Na República Tcheca, um convite à diversidade que conquista o viajante

Por Fernando Destro*

Cultura, águas termais, turismo religioso, café, cerveja, vinho e muito mais se somam à gama de atrativos desse destino no Leste Europeu

Concertos e espetáculos

Especialmente em Praga (mas não apenas), há diversos concertos e espetáculos. Na capital tcheca, é possível assistir apresentações em grandes salões, como o Rudolfinum, Ópera de Praga ou em salas menores, mas não menos impressionantes, como o Salão de Smetana, na Casa Municipal ou o Salão dos espelhos, no Klementinum. Mesmo quem não gosta de música clássica pode se divertir com os espetáculos do Teatro Negro, uma ilusão de luz e sombra, ou o Laterna Magika, espetáculo que combina experimentação multimídia e dança.

Cafés
A Tchéquia incorporou, durante o tempo que estava sob domínio austríaco, o costume dos cafés como forma de convívio social. Principalmente em Praga e Brno há diversos cafés, muitos deles históricos, como Louvre ou o Slavia. Outros são joias como o Imperial e o Orient. E há também os modernos e descolados, especialmente nos bairros de Karlín e Holasovice.

Turismo Religioso

Apesar de ser um país que atualmente é predominantemente ateu, a Tchéquia tem um longo passado religioso, e várias atrações estão conectadas à fé. Em Praga, o grande destaque é a imagem do Menino Jesus de Praga, de grande devoção pelos católicos, e também a história de São João Nepomuceno, um santo 100% tcheco, que tem até cidade e devotos em Minas Gerais. Fora de Praga, Olomouc é a cidade mais envolvida com a fé católica, com inúmeras igrejas barrocas e a impressionante Coluna da Santíssima Trindade. Porém, se o turista segue o judaísmo, também há importantes lugares na Tchéquia. O bairro de Josefov, em Praga, era o antigo gueto. Embora a maioria dos velhos edifícios tenha sido demolido, ainda há lá seis sinagogas e o cemitério, junto ao Museu Judeu. Fora de Praga, destacam-se a cidade de Trebic, que também possui um antigo gueto preservado e a Grande Sinagoga de Pilsen, a segunda maior da Europa.

Termas e Spas

Grande parte do subsolo tcheco é coberto por um aquífero gigantesco. Isso permite que surjam diversas cidades termais, com águas que antigamente serviam para fins medicinais e, hoje, também servem para tratamentos estéticos. As três mais famosas estão no oeste do país, próximo à fronteira da Alemanha e são conhecidas como o Triângulo dos Spas: Karlovy Vary, Marianske Lazne e Frantiskove Lazne. Além das águas, as cidades mantêm uma bela arquitetura imperial, já que nos tempos de Francisco José, eram destino de férias dos famosos. Por lá passaram personagens como Goethe, Schilling, Mozart, Beethoven, Pedro o Grande, Eduardo VII da Inglaterra e até mesmo D. Pedro II do Brasil.

Cervejas e vinhos

A Tchéquia é famosa por ser um país cervejeiro. A ‘loira’ original surgiu em Pilsen e os tchecos são o país que mais bebe cerveja no mundo, em consumo per capita (159 litros por pessoa ao ano).  De fato, a cerveja tcheca é deliciosa e barata – muitas vezes, mais barata que água mineral. Mas se o turista gosta mais de vinho, também há boas – e desconhecidas – opções. A região da Morávia do Sul, onde fica Brno, produz excelentes vinhos, especialmente brancos. E há tours pelas vinícolas locais, com direito a almoços e degustações. Se faltar tempo, porém, basta entrar em um dos muitos wine bars do país e pedir uma garrafa da produção local.

* Fernando Destro é representante do Turismo da República Tcheca no Brasil, há 17 anos.

visitczechia.com

Crédito das fotos: Divulgação CzechTourism

Seção destinada a sugestões de viagem e como ampliar a experiência em localidades e produtos turísticos, sempre a partir do olhar de profundo conhecedor do destino.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *